A dor é a manifestação primordial da vida. Tudo o que fazemos é para atenuar essa dor. A felicidade suprema seria a ausência total de dor. Eis uma tentativa de contribuição para minorar esse sentimento … Como naquela expressão inglesa: I have my moments, em resposta à pergunta, Are you happy?

quarta-feira, maio 09, 2007

Eurofederal – Dia da Europa



Ela espera e desespera

Ela espera e desespera
Sofre o seu coração
Os seus filhos estão ao longe
Só se preocupam com as suas vidinhas
Preocupam – se com os seus grandes problemas
Só se lembram dos irmãos quando lhes interessa
Discutem e negoceiam
Raramente concordam inteiramente
Não se lembram das suas raízes comuns
Os adoptados são olhados com desdém
A sua Mãe espera e desespera
O seu coração sofre

“Quando é que nos tornaremos uma verdadeira família?
“Talvez … um dia … antes de morrer.”

Versão portuguesa de um "poema" publicado neste Blog a 20 de Junho de 2006.

6 comentários:

O Micróbio II disse...

"Em 9 de Maio de 1950, Robert Schuman apresentou uma proposta de criação de uma Europa organizada, requisito indispensável para a manutenção de relações pacíficas"
Tudo começou com um francês com vontade de pacificar as relações franco-germânicas e agora surge outro francês a referir que a França quer voltar a entrar na Europa e fortaleer as relações franco-germânicas... e nós cá andamos no meio destas andanças... vá lá alguém entender estes franceses!

Sem Quorum disse...

Quantos europeus sabem que hoje é o dia da Europa? O silêncio parece dizer que são necessários mais 50 anos para uma emancipação da sombra atlântica!
Abraço,
ALM

david santos disse...

Claro que pode. Só serve para me ajudar. Embora eu saiba inglês, não sou nada especialista. Pois na maioria das vezes, até peço a outras pessoas para me traduzirem os trabalhos, porque no caso da poesia é-me muito difícil arranjar as palavras mais adequadas. Aliás, até lhe ficaria muito grato se me traduzisse um trabalho que tenho em mãos. É uma coisa pouca. Quanto ao ser ateu, acho a Morfina estar no caminho certo.
E quanto ao poema, que na minha perspectiva é mais uma achega que um poema, ele não tem nada de religioso. Repare com atenção, que ele apenas quer dizer que as crianças são o tudo de bom que há no Planeta. Quanto aos mais velhos, se alguma vez amaram alguém, hoje nem isso têm com eles: amor. Nem a Deus nem ao diabo.
Gostei muito de o encontrar e espero que me corrija. Tal como espero que me traduza o que atrás lhe pedi.
Fico à espera.
Abraços.

david santos disse...

Morfina, estou à espera. Caso não queira fazer no blog, pode fazer para este mail: david_santos_sjm@hotmail.com

david santos disse...

Obrigado, meu amigo. Muito obrigado. Quanto ao trabalho, mande-me um mail a dizer-me boa tarde ou qualquer outra coisa e, logo o envio.
Muito obrigado.

martim de gouveia e sousa disse...

talvez. abraço.