A dor é a manifestação primordial da vida. Tudo o que fazemos é para atenuar essa dor. A felicidade suprema seria a ausência total de dor. Eis uma tentativa de contribuição para minorar esse sentimento … Como naquela expressão inglesa: I have my moments, em resposta à pergunta, Are you happy?

sexta-feira, junho 16, 2006

SORTE MACACA


A notícia de um acto hediondo, testemunhado, de o responsável máximo das Casas do Gaiato, padre Acílio Fernandes, em que este esbofeteou um menino de cinco anos, fez-me lembrar um filme excelente de Woody Allen “Match Point” no qual a ideia transmitida é de que a vida de uma pessoa é decidida pela sorte.
A vida de facto é um conjunto sequencial de acções imprevistas. É feita de um conjunto de seres que se encontram e a amálgama de vontades de cada um formam um caos ordenado de acontecimentos que originam a direcção das suas vidas.
Não, não é o destino. Isso pressuporia que houvesse uma espécie de programação de todas as vidas, por uma entidade omnisciente.
À partida este exercício seria de uma estupidez atroz. Numa visão cristã estariamos perdoados ou danados à nascença. Já se saberia quem é que seria ladrão, assassino, mentiroso ou honesto antes de nascer. Não faz sentido.
Sendo assim:

é preciso ter sorte …
para nascer no seio de uma família católica e ser baptizado para assim obter a salvação e a consequente vida eterna.

para nascer numa família que dê amor, carinho e acompanhamento durante a vida.

para não nascer na Faixa de Gaza e ter como única saída de orgulho e de realização pessoal a de ser um bombista suicida …

PS - Faço um repto para quem lê este post que continue nos comments esta sequência aleatória de sortes.

1 comentário:

Sem Quorum disse...

Aceitando o repto:
... para não ser português, de modo a não ser governado pelo ps, psd e cds.
(Excelente post Marco!)
Abraço, ALM