A dor é a manifestação primordial da vida. Tudo o que fazemos é para atenuar essa dor. A felicidade suprema seria a ausência total de dor. Eis uma tentativa de contribuição para minorar esse sentimento … Como naquela expressão inglesa: I have my moments, em resposta à pergunta, Are you happy?

quarta-feira, julho 12, 2006

Monólogos de um Papa


A propósito da visita muito oportuna do Papa a Valência pela ameaça espanhola à “família tradicional” e a consequente ameaça ao Império.
Azar dos azares, Deus pregou mais uma partida. O acidente no Metro.

Bento XVI rezou. Terá ele feito a mesma pergunta, como fez à pouco tempo em Auschwitz? Uma coisa é certa. Se fez, a resposta deve ter sido a mesma.


Warum, mein Gott? Warum?

Gott …? Gott …? Gott …? … Gott …???

… Ach, scheiss!!!

Oh, well… The show must go on.

3 comentários:

Sem Quorum disse...

Olá Marco! Andas numa deriva pouco católica :) !!
Acho que te estás a consumir demasiado numa cruzada contra coisas que só têm a importância que lhes quiseres dar. Gosto de discutir sobre religião, mas não de insistir muito nisso. Se nem os católicos dão importância ao Vaticano e seus dogmas (divorciam-se, fornicam - e bem - com preservativo e por puro e a(du)ltero prazer, vão à missa só nos casamentos, baptizados e funerais ou para não parecer mal, etc. etc.), não sejas tu a acompanhar os passeios matinais e vespertinos do Papa e outros que papam do mesmo! Vá lá, não percas tempo com as diarreias mentais dessa gente!
Vai um copo um destes dias?
Abraço, ALM

al cardoso disse...

Esse e o problema, raramente ele responde, vejam que nem quando o filho lhe pediu para o livrar da morte o ouviu.

O Micróbio II disse...

"Que belo dilema o nosso agora: a paz foi decretada!"

(Napoleão)