A dor é a manifestação primordial da vida. Tudo o que fazemos é para atenuar essa dor. A felicidade suprema seria a ausência total de dor. Eis uma tentativa de contribuição para minorar esse sentimento … Como naquela expressão inglesa: I have my moments, em resposta à pergunta, Are you happy?

quarta-feira, maio 24, 2006

2º Ciclo do 3º Ciclo – Xiriri Bate Bate Bate


Manchete do JN (24/05/06):
“Academia de Coimbra aceita praxe violenta”

Ao lado:
“Cerca de 30% dos universitários querem tradição obrigatória"
"Estudo revela que 80% dos 2819 alunos inquiridos são a favor da discriminação sexual”

No corpo da notícia, entre outras revelações surpreendentes:
“Quase um quinto dos inquiridos (18,4%) admite que não lê livros …”

81,6% lê livros?!?!?

Aí está! O resultado de tantos anos de pedagogia nas escolas básicas e secundárias de Portugal.
Resultou a preocupação e trabalheira das Áreas – Escolas, dos Clubes, dos DPSs, das aulas de Moral, mais tarde das Áreas Projectos, das Formações Cívicas e das aulas de EMRC. Umas NACs, ou “Nhacs”, como prefiro chamar, com a minha cara torcida como se tivesse a sofrer de uma cólica intestinal, que juntamente com as outras disciplinas de índole supostamente introspectivo e de construção de carácter, revolucionaram a Educação.

Pensando bem, nada disto nos admira. Era escusado a manchete. Bastou ver as entrevistas aos foliantes da Queima.

Cerbeijjjaaa!!! Eh! Eh! Eh! (com entoação tipo “Beavis and Butthead”)

Aliás, estou a imaginar as respostas no inquérito:

"Caloiros não são pessoas é malhar neles."
"Gajas? Só servem para uma coisa! Eh! Eh! Eh! "

Se estes já são assim, em que colegas meus do ensino superior já têm que interromper aulas por causa de atitudes inapropriadas deles, imaginem só daqui a uns anos com as NACs e companhia a darem os seus frutos mais suculentos.

O futuro é risonho!

Acrescento que não sou de todo inocente no que se refere às praxes, devido ao ambiente estudantil e à idade, mas sinceramente, a imbecilidade tem limites bastante notórios, e responder da forma como responderam muitos dos inquiridos é, de facto, preocupante. Quanto ao ler livros, enfim, … não serão os únicos académicos. E o resto da população em geral,já se sabe, uns morangos já os saciarão.

PS. Desculpem-me os mais sensíveis e os outros estudantes.

1 comentário:

Sem Quorum disse...

Boa alfinetada na tradição! E, como é da praxe, não podia deixar de registar este comentário. Concordo contigo e critico igualmente a inculta boçalidade dos adultos de amanhã que já são os adultos de hoje. Não ponho as mãos no fogo pelo futuro de Portugal, cada vez menos bué da fixe...
Abraço, ALM