A dor é a manifestação primordial da vida. Tudo o que fazemos é para atenuar essa dor. A felicidade suprema seria a ausência total de dor. Eis uma tentativa de contribuição para minorar esse sentimento … Como naquela expressão inglesa: I have my moments, em resposta à pergunta, Are you happy?

sexta-feira, maio 23, 2008

Rap ao Sol do Golpe dos Bem Pagos


Que Sede
Que Fome
Que Raiva
Que Dor
Desapareceu a olhos
vistos pelos vistos
Sem vistos de entrada
Entram pela nossa casa
Com lérias e biotites

Casa e cala
Contribui e multiplica
Para dividir e subtrair
Sobre traído pelo denominador
comum, ordinário, vulgar, normal
Regular para ir e voltar
Tem que ser
Não há alternativa para a maioria
A maioria do rebanho
Da cambada
De combustão sem tostão
Aí é?
Ide-vos …, então!


3 comentários:

Sem Quórum disse...

Ser neoliberal está mesmo a dar - cada vez mais!
Quem foi que disse mal das virtudes do capitalismo e da livre iniciativa privada?

martim de gouveia e sousa disse...

a luta continua. abraço.

O Micróbio II disse...

Eu sou dos que contribui para os impostos em Espanha... e há muito tempo!