A dor é a manifestação primordial da vida. Tudo o que fazemos é para atenuar essa dor. A felicidade suprema seria a ausência total de dor. Eis uma tentativa de contribuição para minorar esse sentimento … Como naquela expressão inglesa: I have my moments, em resposta à pergunta, Are you happy?

quarta-feira, abril 25, 2007

À Jovem


Jovem, jovem de irregular
Estado
De espírito

Altos e baixos
Dores
De crescimento
São próprios

Jovem, jovem de cativo
Nativo
Por inerência

Muitos erros e asneiras
Garotices e desvios
Más influências

Jovem, jovem ingénua
Fruto de família
Pátria e deus

Conseguiu esse padrasto
Enterrar
A madrasta desdenhar
E partir para a aventura
Muitas vezes insegura
Que ainda muito dura

Jovem, jovem aprendiz
Ainda sem grande
Sentido de Justiça

Fuja, fuja, jovem
Desses fantasmas errantes
De má memória
Medonha, amorfa e triste

Jovem, jovem confusa
De tanto tempo
Enfornada no seu quartinho

Vai agora ainda a meio
Caminho
Caminha
Na direcção certa
Por ruas e caminhos
Manhosos
Amigos
De vez em quando
Os há
Com outros no entanto
Lições tem já
De valioso contributo
Que merece
Sem saber muito bem
Como aplicar
Mas
Lá vai se alimentando
Saudável e forte
Ao Destino
Chegará
Pois o passado
Está pra trás
Com os erros
Aprenderá
A vida triste
Não repetirá

Viva Jovem!
Viva, Jovem!
Viva a Jovem!

6 comentários:

O Micróbio II disse...

Os cravos murcharam... eu prefiro os odores do 25 de Novembro de 1975, só nessa ocasião deu para saborear o verdadeiro Abril!

Sem Quorum disse...

O Sam the kid não escreveria melhor, man! Io! Bora nessa de rap, man, sempre a rappar. Cena bué da fixe man! Io!
Ganda trip, man...

al cardoso disse...

"Viva Jovem" que juventude so ha uma, mas viva-a bem.

Um abraco d'Algodres.

martim de gouveia e sousa disse...

viva lá! abraço!

david santos disse...

Viva! Abraços.

O Micróbio II disse...

Ena... os útlimos três comentários brindaram-te com a palavra "Viva"... então aqui vai um quarto "viva" para desequilibrar com os outros 3 com que finalizas o post.. :-)